sábado, outubro 08, 2005

Natural City


Coreia do Sul, 2003, 120Min. ´

Página Oficial - Trailer - Fotos 1 2 3 4 5 6 7 8 9

O cinema asiático, nomeadamente o coreano, bebe das inúmeras influências do cinema europeu e principalmente americano e adequa-as à sua cultura, normalmente criando obras magníficas. No entanto, não é caso de Natural City, um filme de ficção científica, género que se encontra ainda numa fase muito embrionária no país.

Sinopse: "R", um membro da "MP" apaixona-se por uma clone em fase de expiração não aceitando que esta seja terminada. Quando descobre que o Dr. Croy conhece una forma alternativa de continuar a vida de Ria, vai lutar contra tudo e contra todos para salvar a sua amada.

Crítica: O argumento baseia-se um pouco em Blade Runner: Em 2080, o trabalho manual humano, em Natural City, é desempenhado por clones com inteligência artificial que têm uma determinada data de expiração. No entanto poucos aceitam esse facto (reciclagem) sendo necessário criar uma força de intervenção “MP” para capturar esses clones expirados.

"Natural city" (de MIN Byung-Chun) é um blockbuster coreano de ficção científica com um orçamento estimado em cerca de 7 biliões de won. O filme é centrado na história de amor entre os dois protagonistas, servido por excelentes efeitos especiais e cenas de acção ao estilo “Matrix”.

No entanto, “Natural City”, é um filme vazio, pois não há química alguma entre os personagens centrais: “R” tem uma personalidade irritante e não consegue transmitir os seus sentimentos, enquanto que Ria é um clone completamente embrenhado na sua decadência e por isso, não temos empatia por nenhum dos dois. É também um pouco longo demais, as interpretações são medianas e a historia já foi contada antes (não traz grandes novidades), ou seja, é mais do mesmo.

Não se trata de um filme mau. Decerto que os apreciadores de ficção científica vão achar o filme agradável, mas definitivamente, não é nenhuma obra-prima do cinema coreano.

Classificação: 5/10

Sérgio Lopes

Mais Críticas 1

1 Comments:

Anonymous Luis Peres said...

Aqui mais uma vez também não concordo com a pontuação atribuida na review.
Na minha opinião este filme não merecerá 5 mas sim no mínimo 8 pontos em 10. Na verdade quanto a mim seria coisa para 8.5

Embora por um lado possa compreender o porquê dos 5 pontos na review.
É que pode parecer estranho, mas concordo completamente a 100% com o que está escrito na análise.
Ou melhor, concordava...
Na verdade a primeira vez que vi Natural City pensei exactamente o mesmo. Gostei, mas achava que faltava ali qualquer coisa e que qualquer coisa não ligava bem.

No entanto, dado á proximidade deste filme com um dos filmes da minha vida o Blade Runner, decidi espreita-lo mais um par de vezes só pelo prazer visual desta versão coreana e aos poucos fui-me apercebendo dos pormenores fascinantes que este Natural City contêm e neste momento já o acho tudo menos um filme vazio.
A maneira como os personagens estão trabalhados se calhar será estranha ao que estamos habituados numa narrativa mais ocidental, mas penso que dentro de uma logica intimista mais oriental estão completamente coerentes. De repente vi-me identificado com a forma como são apresentados no filme e neste momento ja nao concordo em absoluto com a ideia de que o filme não tem sentimento. Penso que muito pelo contrário, embora isto seja muito dificil de explicar. Mas no fundo é um pouco como no Blade Runner e acabamos mais por sentir o filme e os personagens do que racionalizar os motivos das suas acções.
E é curioso também ambos os filmes terem tido a uma primeira visão o mesmo tipo de criticas negativas baseadas numa suposta falta de sentimento que existia ao longo dos filmes. É outra coisa que os liga agora e ao mesmo tempo aquilo que os torna em dois excelentes filmes na minha opinião.

Só não dou uma pontuação de 10 a este Natural City por um motivo. As sequencia de porrada não estão lá a fazer nada e aquela estética "Matrix" irrita um bocado pois é constantemente usada nas cenas de acção tornando-as repetitivas. Além disso são demasiado longas e muitas vezes desnecessárias.

Cortassem metade do tempo nas cenas de acção deste filme, usassem-nas apenas para suportar a historia e não para exibição gráfica e este Natural City na minha opinião merecia levar 10 pontos tal como o Blade Runner.

E nem vou chamar este filme de clone do filme de Riddley Scott, pois penso que seria injusto. Se não existisse Blade Runner, se calhar este filme não existiria, mas penso que mais do que um remake, é sim uma historia paralela no mesmo universo e nesse aspecto penso que resulta plenamente.
Especialmente para fãs do Blade Runner que gostariam de ter mais do mesmo. Natural City não é Blade Runner, mas também nao precisa de o ser pois na sua "cópia" criou um produto com uma identidade muito própria fruto talvez das influencias da cultura oriental e por isso resulta como um produto unico fantastico.

Recomendo vivamente a fãs de Blade Runner e a quem adora ficção-cientifica. Pois mesmo com excessivamente longas sequencias de acção intercaladas a intervalos narrativos estranhos, este Natural City limpa o chão com a quase totalidade dos blockbusters saidos actualmente de Hollywood.

Visualmente é lindissimo e segue a linha grafica do filme de Scott de uma forma bem curiosa. A unica coisa que me chateia é que as vezes o ambiente grafico fica a meio caminho entre o Blade Runner e um design de video game tipicamente oriental. Teria sido melhor terem entrado totalmente por uma imitação do ambiente do filme de Ridley Scott porque as vezes ficamos com a sensação de que o filme não se afirma bem naquilo que pretende ser em termos visuais.

Mas tirando isto, está excelente. Nos seus melhores momentos é um filme de ficcao cientifica tao poético quanto Blade Runner. Poético e romântico, apesar de a uma primeira visao nao o parecer, pois o espectador leva sempre um choque porque por mais que se tente a uma primeira ou segunda visão ha tanta coisa para captarmos no filme que o facto dos personagens não nos serem imediatamente apresentados como simpáticos, faz com que não notemos que no fundo se calhar são bem mais humanos do que costumamos ver na maioria dos filmes de FC.

Os efeitos especiais são excelentes, os personagens são regra geral interessantes e o final é muito poético.
Quanto a mim só não leva nota maxima porque aquele vilão de cartão estraga por completo aquilo que poderia ser um filme de FC asiatico perfeito. Acreditem-me este vilão não é de modo algum o Rutger Hauer e é isso que quase estraga o filme, pois faz com que nunca se defina muito bem enquanto drama romantico de ficção cientifica, filme de porrada e efeitos especiais ou clone do Blade Runner.

No entanto na minha opinião é um filme obrigatorio em qualquer videoteca de quem goste tanto de bons dramas romanticos originais como de ficçao cientifica. E especialmente de quem goste de cinema asiatico.
Sugiro a edição em capa de lata se ainda a conseguirem encontrar a venda.

E lembrem-se, não se preocupem se não gostarem nada do filme na primeira vez que o virem.
A mim aconteceu-me o mesmo.

Sugiro que vejam o trailer, captem a poesia da banda sonora, esqueçam as sequencias de porrada vazias e longas, e voltem a ver o filme pelo menos mais duas vezes.
Á quarta, se calhar já gostarão tanto de Natural City quanto eu gosto.

E não se podia pedir melhor Blade Runner-2 do que este, pois podem ter a certeza que se este filme tivesse saído dos estudios de Hollywood não teria certamente a magia que tem agora, mesmo com os seus defeitos.

Recomendo não só a visão, mas acima de tudo a compra.
E cuidado com as edições ocidentais em dvd, pois consta que estão um bocadinho cortadas. Sugiro a compra na asia mesmo.

2:12 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home