quarta-feira, outubro 05, 2005

A tale of two sisters (Janghwa, Hongryeon)



Coreia do Sul, 2003, 120Min.

Página Oficial e Trailer - Fotos

Provavelmente estamos na presença da obra-prima asiática de terror psicológico.

Sinopse: A história gira em torno de duas irmãs que regressam a casa, após terem estado numa instituição mental. Em casa encontram o pai e uma madrasta cruel. A relação entre as três começa a deteriorar-se ao ponto de a irmã mais forte (brilhante Im Su-jeong), tentar proteger a mais fraca (Mun Keun-yeong), das investidas da madrasta que sentem como uma enorme ameaça para ambas. Ao mesmo tempo, começam a surgir estranhas aparições e fenómenos invulgares no seio da casa…

Crítica: A tale of two sisters” é o filme da consagração do cineasta da nova vaga de realizadores coreanos, Ji-woon Kim, que neste ano de 2005 apresenta o muito aguardado thriller de acção noir (o primeiro filme do género na Coreia), “a bittersweet life” .

Para evitar estragar o visionamento do filme, prefiro não me alongar muito mais sobre o argumento. Apenas posso dizer que “A tale of two sisters” é intelectualmente inteligente e combina de forma quase perfeita o thriller psicológico, drama e terror, servido por uma banda sonora magnífica e uma realização sublime.


Desde o argumento intrigante, passando pela música, narrativa e escolha dos actores, todos os aspectos neste filme roçam a perfeição. Do ponto de vista técnico, é difícil encontrar uma falha, pois tudo é cativante. A forma como atravessa os vários géneros (desde o drama ao terror, passando pelo thriller) é algo a ter em conta. A utilização do contraste de cores e da luz torna a película esteticamente apelativa e visualmente cativante. As duas actrizes principais brilham a todos os níveis. São mágicas no écrân. A actriz Yeom Jeong-ah, que representa a madrasta das duas irmãs é genuinamente cínica e má.

Ji-woon Kim baseia toda a estrutura cinematográfica num argumento fabuloso, na realização e no estilo visual, de modo a criar uma atmosfera densa de tensão capaz de provocar verdadeiros sustos, sem recorrer ao terror directo que advém da utilização do gore ou do uso de cenas de violência gratuita. Pelo contrário, filma-as no tempo certo e com o plano de câmara adequado a para esse efeito.

Para quem gosta de filmes de terror na linha de “O Sexto Sentido” ou “Os Outros”, vai com certeza delirar com “A Tale Of Two Sisters”. É definitivamente um filme obrigatório que esperemos não seja alvo de um remake americano… A imitação nunca poderá igualar o original. E este original é fabuloso!

Classificação: 9/10

Sérgio Lopes

11 Comments:

Blogger André Batista said...

Já me informaram bastante sobre este filme. Dizem ser uma obra-prima, e pela tua análise, bem que acredito! Gostei muito de conhecer o teu blog, e virei mais vezes. See ya :)

10:46 da manhã  
Blogger Francisco Mendes said...

O inventivo trabalho de câmara de Ji-woon Kim, a música envolvente, as sequências que invejam os ranhosos remakes americanos. É um brilhante thriller psicológico orquestrado com horror assombroso e drama enternecedor.
"Janghwa, Hongryeon" é uma Obra-Prima, a visionar antes que Hollywood destrua a sua reputação.

9:17 da manhã  
Anonymous 180min said...

só agora cheguei a este blog. vi o filme no domingo dos vencedores, no fantas2004 e, quando saí da sala estava completamente extasiado. é um dos melhores filmes que já vi.

{este ano tornou a passar, voltei a ver e saí com a mesma sensação}

11:54 da tarde  
Anonymous Miguel Louro said...

É um dos filmes mais delirantes (e atrevo-me a dizer "paranoicos") de td o cinema oriental. Tomando esta avaliação, acho que o filme é excelentemente conduzido para uma complexa teia psicótica.
Gostaria de te recomendar um dos meus filmes de eleição que se entegra no "thriller" psicológico: o fabuloso PERFECT BLUE (1997), assinado por Satoshi Kon. Muito bom mesmo. Mas ao msm tempo de cortar a resoiração...
Boa sorte com o blog.
o meu mail é summoner_of_the_overglow@hotmail.com

11:17 da tarde  
Blogger cine-asia said...

Ok Miguel, obrigado pelo dica. Vou tentar ver o Perfect Blue.

realmente ninguém fica indiferente ao Tale...

Cumprimentos,

Sérgio Lopes

5:50 da tarde  
Anonymous Luis Peres said...

Este foi precisamente um dos filmes que me viciou por completo em cinema asiático, especialmente no Coreano. Outro filme foi o (na minha opinião lindissimo) Il Mare que foi este ano completamente desgraçado na sua versão Hollywoodesca.

Como este Tale of Two Sisters, consta por aí que já foi comprado pelos americanos para efeitos de remake, eu pela minha parte quase que obrigo toda a gente a ver este filme antes que apareça a versão Hollywood. Não tenho no entanto tido muita sorte em convencer muita gente de que isto é uma verdadeira obra prima, pois grande parte das pessoas, não gostam muito de ver filmes "em estrangeiro" quando podem ver filmes em americano "que se percebe bem".

Pela minha parte, considero este um dos melhores filmes de sempre em vários aspectos. Desde logo o argumento é simplesmente brilhante pela forma como não nos dá as respostas de mão beijada. Embora...ja tenhas notado que se analisares a capa do filme encontras ali quase a explicação da historia pela maneira como os personagens estão posicionados ?... Uma das irmãs está sozinha...a madrasta toca na outra irmã...got the picture ? ;)

Outra coisa incrivel é mesmo a banda sonora. Simplesmente hipnótica e fica no ouvido pelas melhores razões. Excelente atmosfera, muito creepy e ao mesmo tempo um filme de terror que no entanto é um drama poético e bonito num sentido dramático.
Para mim é daqueles filmes de 10 em 10 pois simplesmente acho que não tem absolutamente falha nenhuma. E reve-se e reve-se e reve-se.

Descobri agora este site, e como adoro cinema asiático, deverei andar por aqui se não se importarem. ;)

11:25 da tarde  
Blogger cine-asia said...

fico extremamente agradado que aprecies este humilde espaço e espero que cá passes muitas vezes.

Quanto ao Tale Of Two sisters, concordo em absoluto com o que disseste. Foi também um dos filmes responsáveis para eu me interessar deveras pelo novo cinema asiático, em particular o Coreano!

Abraços.

4:28 da tarde  
Anonymous Menin@ said...

eu sinceramente não entendi muito esse filme, faz tempo q não vejo filmes assim. alguem pode me explicar???? =)

11:56 da manhã  
Anonymous Popet said...

A musica, o misterio, sao duas das causas para este filme ser considerado uma obra-prima.

9:15 da tarde  
Anonymous Adriano Miranda-Franca-SP said...

MEDO ( A Tale of Two Sisters / Coréia do Sul, 2003 ) é um clássico moderno do cinema mundial, que transcende qualquer classificação ( apesar de ser considerado pela crítica como um filme de " terror " ).
Poucas vezes na História do Cinema pode-se ver atuações femininas tão intensas como a das duas atrizes principais, Im Soo Jung ( como Su-Mi ) e Moon Geun-young ( como Su-Yeong ). Quem assistiu ao filme com um olhar de cinéfilo, jamais se esquecerá dessas duas atrizes, que, jovens ainda na época ( Moon Geun-young fez 17 anos durante as filmagens ) , dão verdadeiras aulas de interpretação! Hollywood tem muito a aprender com o Cinema Oriental ( não é à toa que vive refilmando suas obras, como o fez com esse belo filme ). MEDO ( título nacional infeliz, caça níquel, já que a tradução real é UM CONTO DE DUAS IRMÃS )é uma obra-prima absoluta, inquestionavelmente!O diretor Kim Ji-woon buscou inspiração até em Alfred Hitchcock ( como confessa no " making-off " do filme ). Uma obra para os VERDADEIROS cinéfilos e para os que conseguem ler nas entrelinhas!
( Adriano Miranda-Franca-SP-Historiador de Cinema

2:00 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

estou realmente louco para ver esse filme!

4:05 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home