terça-feira, abril 25, 2006

Election

Hong-Kong, 2005, 99Min.

Sinopse: De dois em dois anos, chega o tempo de eleição do novo líder da mais antiga Tríade de Hong-Kong. De um lado está Lok (Simon Yam) que segue as tradições do clã, enquanto que o seu concorrente Big D (Tony Leung Ka Fai) que anseia pelo poder a qualquer preço, utiliza todos os meios ao seu alcance para atingir a presidência da tríade, nem que para isso tenha que quebrar a tradição de centenas de anos da sociedade…

Crítica: Esta é a premissa do novo filme do famoso realizador de Hong-kong, Johhny To, que entre outros filmes, conta no seu currículo, com os sucessos comerciais PTU e The Mission, sendo um realizador em actividade há mais de 25 anos. Election, trata-se de nada mais nada menos, que um manual de como se processa a eleição do cargo de líder da sociedade ancestral de Hong-Kong, a tríade Wo Sing, sociedade com raízes e tradição centenárias.

Não se trata de um filme de acção, mas sim de um thriller de contornos políticos, onde a ganância e a luta pelo poder são manipuladas pelo cineasta de forma bastante eficaz, nunca tornando o filme monótono ou desinteressante. Tal como o “Padrinho” de Coppola se centra mais nos conflitos pessoais, também Election desenvolve a narrativa nesse sentido. O argumento resume-se ao jogo de interesses dos dois candidatos a líderes, na busca do artefacto sagrado indispensável para a sua eleição e nos métodos antagónicos utilizados por cada um deles para convencer os membros mais antigos da sociedade (denominados de Tios), para a sua eleição.

Embora possa ser criticável por um argumento bastante linear, Johnny To tem uma realização bastante apelativa conseguindo captar a atenção do espectador até ao clímax final. Contando com um grupo de actores de eleição que compõem um grupo de secundários que são uma mais valia para a película, destaca-se, no entanto, o conceituado actor Tony Leung Kai-Fa, como Big D. A partitura sonora encaixa igualmente na perfeição criando o ambiente que Johnny To pretende.

Election esteve em competição no festival de Cannes de 2005, onde não ganhou nenhum prémio, mas foi o grande vencedor dos prémios de Hong-Kong deste ano, tendo sido galardoado com as distinções de melhor filme, melhor realizador, melhor argumento e melhor actor (Tony Leung Kai Fa). Trata-se de um filme agradável e que se vê de bom grado. A segunda parte, Election 2, já está a caminho.

Classificação: 7/10

Sérgio Lopes

8 Comments:

Anonymous Bakemon said...

Sérgio, não achas que foi rigoroso demais em dar nota 6? Considero este um dos grandes filmes de Hong Kong do ano passado. Um filme elegante e poderoso. Uma jóia no meio de tantos filmes fantasiosos, épicos e repetitivos que habitavam o cinema de lá.

5:38 da tarde  
Blogger cine-asia said...

Talvez Ric. Um 7 não ficaria mal, se calhar. olha que eu gostei do filme se leres a crítica...

A classificação é que menos importa. Mas se calhar 7 era maia apropriado...

Cumprimentos,

Sérgio lopes

12:13 da manhã  
Anonymous tf10 said...

Depois de um par de filmes mais fracos e que nao gostei (throw down e yesterday once more) To voltou a elevar o nivel como ja tinha feito com alguns dos meus favoritos dele (The mission, Running on karma, PTU) e a mostrar com este election que dentro deste genero ele sabe bem o que faz!
Para mim é sem duvida um filme bem recomendável!
Aguarda-se agora o Election 2 e depois o nao menos esperado "Exiled"

To is back on track!!!

8:18 da tarde  
Blogger cine-asia said...

Tenho de ver os restantes filmes de TO para poder argumentar ctg. Qt a election, gostei bastante.

10:23 da tarde  
Blogger cine-asia said...

indo ao encontro de algumas criticas apontadas, modifico a minha classificação de 6 para 7 para se adquar masi ao que escrevi.

Está melhor assim pessoal?

1:41 da manhã  
Anonymous tf10 said...

Tendo em conta que "gostaste bastante", acho que ate o 7 é pouco :)
Eu seguramente que lhe dou mais! e do To nao ha mt melhor ;)

3:20 da manhã  
Blogger cine-asia said...

penso que 7 é o ideal de acordo com a minha régua de classificações. Um filme de 8 já tem de ser muito bom, tipo Oldboy, por exemplo.

Laranja mecânica já é um 10.

è sempre relativo, n achas?

11:01 da tarde  
Anonymous tf10 said...

8 ao Oldboy?!?!?!?!?
O Oldboy é exímio em todas as componentes de um filme (argumento, banda sonora, cast, fotografia, montagem, etc.)
Temos "réguas" bem diferentes.....

abraço!

8:01 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home