sábado, maio 13, 2006

Cello


Coreia do Sul, 2005, 94Min.

Página Oficial - Trailer - Fotos

Sinopse: Hong Mi-ju (Seong Hyeon-a, Woman is the Future of Man) é uma professora de violoncelo que vive com as memórias ressentidas de um acidente mortal envolvendo a sua melhor amiga, Tae-in (Pak Da-an). Quando a sua filha começa a ter um interesse repentino em aprender a tocar violoncelo, subitamente a sua família é colocada sob a ameaça de um ente sobrenatural, ao mesmo tempo que Hong Mi-Ju começa a ser ameaçada por uma das suas alunas de violoncelo...

Crítica: Tal como noutras películas de terror asiáticas e mais concretamente Coreanas, Cello, segue a premissa baseada num problema emocional familiar entre mãe e filha, que suporta todo o centro nevrálgico narrativo, complementado pela rapariga de longos cabelos negros que atemoriza a família. È mais um drama familiar, disfarçado de filme de terror, na sequência de outros tantos como Phone, Ju-Hon ou Ringu, só para citar alguns.

Cello -o título do filme- remete ao violoncelo, instrumento musical, que aqui é um elemento simbólico e ao mesmo tempo central na ligação entre acontecimentos. Pelo menos não é mais um objecto que sofre de um qualquer tipo de maldição e afecta tudo à sua volta, como em alguns filmes recentes do género. Valha-nos isso. Mas Cello contém todos os clichés deste tipo de filme, o que convenhamos que para quem já viu uma série de filmes de terror asiáticos, começa a saturar e muito.

Para agravar mais as coisas, nada está bem feito. O suspense (os sustos), para além de previsivel, não funciona minimamente, os efeitos especiais são básicos e o famoso twist final... para além de pouco original, volta a não ter nexo algum. Posso até afirmar que com um processo narrativo tão previsivel e monótono, a espaços, é dificil prestar atenção e manter o interesse no filme. Salva-se ao menos algumas composições em violoncelo que vão entrando no ouvido e o trabalho dos actores que permite manter um pouco a chama acesa.

Cello é mais um filme de terror asiático que nada de novo traz ao género. Falha em repetir a fórmula já gasta do terror oriental (embora altamente apreciada pelos remakes americanos) recorrendo repetidamente ao clichés do género. Há seguramente propostas melhores vindas da prolífera Coreia do Sul.

Classificação: 3/10

Sérgio Lopes

3 Comments:

Anonymous tf10 said...

Mais um filme coreano ao estilo "j-horror", na linha de filmes como o "The Red Shoes" ou o "The Wig" que sairam no ultimo ano. Este esta entre os 2, ou seja, é um filme razoavel. Apesar de nada de novo, o cuidado visual é sempre o maior destaque neste tipo de filmes vindos da coreia, sempre com bons ambientes, mas depois falta algo nos argumentos e/ou na realização....

8:23 da tarde  
Blogger cine-asia said...

Ya, mais do mesmo. Ainda assim o menos mau na minha opinião é o Red Shoes. talvez o mais "Stylist"

2:38 da manhã  
Anonymous tf10 said...

Sim, sem dúvida, desses 3 é o que tem melhor visual.
(sapatos rosa num filme de horror é um excelente contraste) :)

5:43 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home