terça-feira, maio 30, 2006

Cub Tiger from Kwantung


Hong Kong, 1971, 84 Min.

Sinopse: O pai de Hsiao Hu (Jackie Chan) é morto numa emboscada ao se envolver com a Tríade. Ele então é criado pelo seu tio, que o ensina a lutar, mas é contra violência e proíbe-o de usar kung fu em pequenos arrufos. Até que ele é obrigado a enfrentar bandidos que insistem em importunar a sua família…

Crítica: No começo dos anos 70, Jackie Chan já era um dos duplos mais respeitados de Hong Kong, o que na verdade não queria dizer nada em termos de cachés mais altos, mas que garantia serviço todos os dias, já que os coordenadores de duplos preferiam trabalhar com gente experiente. Um dia, Jackie recebeu uma proposta de um estúdio independente, que estava à procura de um jovem talento para ser a estrela de um novo filme. Na época ele aceitou fazer esse filme (que se chamaria The Little Tiger Of Canton) pois já estava cansado de ser somente duplo e foi sua primeira oportunidade de ser actor principal. Antes não tivesse aceitado... O estúdio era extremamente pobre, o equipamento de filmagem era muito velho, caindo aos pedaços, e o trabalho de realização era praticamente inexistente. Segundo o próprio Jackie, não era raro o realizador mandar os actores fazerem o que quisessem diante das câmeras!!! Não foi nenhuma surpresa quando, uma noite, logo depois de terminarem as filmagens, o produtor e o realizador terem fugido com o filme para Taiwan para não pagar o caché dos actores!!!

Então, em 1978, quando Jackie Chan se tornou numa estrela com o sucesso de Snake In The Eagle's Shadow e Drunken Master, esses produtores editaram o filme original, mudaram a estória, colocaram várias cenas com um sósia (nada parecido com Jackie Chan, aliás), até chamaram Simon Yuen Siu Tin pra interpretar novamente um mestre mendigo como nos dois sucessos citados, e lançaram como Master With Cracked Fingers. Nos EUA ainda chegaram a rebatizá-lo como Snake Fist Fighter em meados dos anos 80. Nessa versão, o argumento era ligeiramente diferente : Jackie é um jovem pobre que quando criança não tinha condições para estudar kung fu. Ele conhece um mestre-mendigo (Simon Yuen) que aceita ensinar-lhe kung fu gratuitamente e assim combater os bandidos da região.

Mas ao contrário do que se pensava, o filme original chegou a ser finalizado e passou somente nos cinemas de Taiwan como The Cub Tiger From Kwangtung. Essa versão é rara e até há algum tempo atrás era dada como perdida. Mas aqui no Japão essa versão foi resgatada pela Kurata Promotion, a empresa de Yasuaki Kurata (uma lenda viva dos filmes de artes marciais no Japão), que conseguiu em Taiwan uma cópia da película original (segundo algumas fontes, uma das únicas cópias existentes no mundo!!!) e lançou em DVD como Tiger Project. A imagem é meio envelhecida, e as cores estão bem desbotadas a ponto de parecer um filme a preto e branco, mas pelo menos o enquadramento é em widescreen. Esse DVD, que por ter sido lançado apenas no Japão já era considerado raro, está esgotado há alguns anos, e quem o possuía (como eu, por exemplo) tratava como uma relíquia! Mas recentemente a PanMedia lançou oficialmente esse DVD nos EUA e acabou com a alegria de colecionadores como eu, que se gabavam por ter um filme raro no acervo...
Sobre o filme em si, é impossível comentá-lo sem fazer uma comparação com as duas versões. Ambas são muito más, é verdade, mas eu, particularmente, prefiro a versão original. Além de ser o filme inteiro com o Jackie Chan de verdade (e não o sósia), tem umas 3 cenas de lutas que foram cortadas na versão de 78. E numa dessas lutas aparece Yuen Biao, grande companheiro de Chan em vários clássicos. Se Jackie estava com 17 anos na época, Biao estava com 14 ou 15! E, como o próprio Yasuaki Kurata comentou certa vez numa entrevista, nesse filme dá para se perceber as raízes do "Estilo Jackie Chan". Por exemplo, numa cena ele luta contra uns 4 bandidos usando uma bandeja de madeira, ou seja, desde essa época ele já desenvolvia aquela idéia de usar tudo o que estivesse à sua volta como arma. Outra cena : quando o seu tio fica furioso ao descobrir que ele andou a lutar novamente, começa a arremessar vasos de flores contra Jackie que, para evitar que eles se partam no chão, faz malabarismos para catá-los no ar.

Mas ambas as cenas são muito mal feitas e nem se comparam com que ele faria posteriormente em clássicos como Fearless Hyena e The Young Master. Aliás, o filme inteiro é extremamente amador em todos os sentidos. É até inacreditável como um actor veterano como Tien Feng (conhecido por ter actuado ao lado de Bruce Lee em Fist Of Fury) tenha aceitado trabalhar numa porcaria como essa! E a interpretação de todos os actores, especialmente Hon Gwok-choi (que “interpreta” Little Frog, um ladrãozinho amigo de Hsiao Hu), é deprimente! Numa cena em que ele se sente humilhado por todos baterem nele, o seu desempenho é patético! Mas a coisa fica pior quando, logo em seguida, ele esbarra acidentalmente na sua avó (que ele não via há muito tempo) e ela começa a consolá-lo! A intenção do realizador talvez fosse deixar o filme mais dramático, mas o resultado ficou muito caricato e engraçado!

Quanto às lutas, bem, digamos que Jackie Chan foi bem esforçado, mas infeliz na execução. O problema foi a inexperiência de Jackie como coreógrafo, aliado ao já citado amadorismo da produção. Algumas idéias eram muito boas, como lutar contra várias pessoas enquanto segura a corda que mantém Little Frog preso no alto de um mastro de um barco para evitar que ele caia, mas o resultado ficou muito aquém do esperado. Em suma, é um filme muito mau sim, mas considero The Cub Tiger From Kwangtung um filme mais interessante do que alguns que Jackie Chan fez anos mais tarde, como o horroroso The Killer Meteors, de Lo Wei, e o pior de todos, Fantasy Mission Force, de Chu Yen Ping. Vale uma olhadela pelo valor histórico, pois foi o primeiro filme de Jackie Chan como protagonista.

Classificação : 3/10

Takeo Maruyama

6 Comments:

Anonymous Bakemon said...

Takeo, como sempre, além da sinopse, uma verdadeira aula de história!!!! Parabéns!

6:10 da tarde  
Blogger cine-asia said...

Grande review do Takeo (como sempre) eh eh

7:16 da tarde  
Anonymous Takeo Maruyama said...

Ora, amigos, com tantas resenhas de alto nível no Asia-cine, tenho que me esforçar pra não ficar "pequeno" perto de vocês, he, he, he.

4:41 da tarde  
Blogger cine-asia said...

Bakemon, meu caro, para quando o prazer de eu postar mais uma review sua?

7:27 da tarde  
Anonymous Bakemon said...

Olá, Sérgio! Estou muito atarefado, mas prometo em breve enviar mais um.

6:02 da tarde  
Blogger FatCat said...

Takeo, valeu pela dica! Em minha inveja sadia, quando crescer queria saber pelo menos um terço do que você sabe.

3:02 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home