sábado, agosto 19, 2006

PTU

Hong-Kong, 2003, 87Min.

Página Oficial - Trailer - Fotos

Sinopse: Durante uma noite, um polícia em vésperas de promoção perde a arma e um chefe de um gang é assassinado. Um grupo de polícia de choque em patrulha parte em busca da arma e outro grupo de investigação tenta descobrir o assassino do chefe do gang. Entretanto, o pai do chefe de gang assassinado jura vingança...

Crítica: P.T.U. (Police Tactical Unit), é uma espécie de polícia de intervenção de Hong-Kong que normalmente patrulha as ruas durante a noite em grupos de 6 agentes, tal como um pelotão. O filme foca a patrulha efectuada por um dos pelotões da PTU, cujo líder é amigo de um agente veterano, cuja arma foi roubada. Ao mesmo tempo lutas entre gangs rivais vão se intrometendo no caminho dos agentes, tudo ocorrendo numa só noite.

PTU é um filme de baixo orçamento, realizado com reduzidos meios (muitos dos actores secundários são elementos do staff de Johnnie To), assumindo-se como um exercício de estilo, em que o argumento pouco importa. A premissa é simples, a câmara opta por longos planos e o visual sobrepõe-se ao resto. A nível narrativo, Johnnie To vai construindo o ambiente de tensão (por vezes de forma demasiado lenta) para um final em 5 minutos, no mínimo confuso e completamente fora do ritmo base do filme.

Se a ideia era fazer um filme visualmente diferente, isso realmente foi conseguido. Numa Hong-Kong praticamente deserta, To filma as ruas utilizando apenas a luz artificial dos postes de iluminação, recorrendo poucas vezes a iluminação adicional, o que permitiu captar um ambiente soturno e surreal, criando uma atmosfera de tensão permanente. Curioso é o realizador ter dito que não teve dinheiro adicional para a iluminação. O certo é que doutra forma não teria captado esse ambiente tão peculiar…

Destaca-se igualmente uma partitura sonora que acompanha bastante bem os momentos de tensão (num filme com muito poucas falas), bem como as interpretações irrepreensíveis dos consagrados actores Simon Yam e Suet Lam. No fundo PTU, não é um mau filme, mas está longe de ser perfeito. Pena que tudo exprimido dê um resultado final desigual. No entanto, é um filme que merece a sua visualização, contudo não comparável a The Mission ou Election, as obras mais conceituadas do cineasta.

Classificação: 5/10

Sérgio Lopes

2 Comments:

Blogger not_alone said...

Há distribuição em portugal?

11:23 da manhã  
Blogger cine-asia said...

Na FNAC pelo menos não há.

Tenta nestes sites aqui:

http://www.asia.cinedie.com/links.htm

Abraço

Sérgio Lopes

7:51 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home