sábado, setembro 09, 2006

Arang

Coreia do Sul, 2006, 97Min.

Página Oficial - Trailer - Fotos

Sinopse: Dois detectives investigam um crime e no seu caminho encontram o fantasma de uma mulher... Depois de entrarem num misterioso site que todas as vítimas acedem antes de morrerem, descobrem que tudo deriva de há dez anos atrás, o que os levará por caminhos terriveis...

Crítica: Nada de novo, ou seja, mais do mesmo... Arang repete as fórmulas completamente gastas que granjearam alguma notariedade ao cinema asiático de terror. Uma velha maldição ou mito urbano que busca vingança, já foi visto inúmeras vezes. Personificada por uma mulher de longos cabelos negros, também é recorrente. Mescla algures entre, Ringu, Ju-Hon e também Kairo, pois a página Web amaldiçoada também faz parte de Arang, implica que nada traz de novidade dentro do género a que se propõe e pior não consegue assustar e atrevo-me mesmo a dizer, nem consegue ser interessante.

A espaços desinteressante, Arang vai tentando captar a atenção do espectador com as pistas fornecidas pelo realizador para o que se está a suceder. Pelo menos em Arang, a explicação para a ocorrência dos factos derivados da maldição tem alguma lógica, o que já não é inteiramente mau, tendo em conta a colagem de Arang a outras películas do género, mais ou menos conseguidas. Estas pistas vão sendo sugeridas até ao famoso twist final (não podia faltar como é óbvio) que funciona minimamente bem. O pior é conseguir chegar ao fim do filme...

A acção desenrola-se na pele de uma dupla de detectives que investigam a sucessão de mortes misteriosas, nas quais, as vítimas morrem sufocadas e todas elas acederam a um site onde aparece uma casa de campo, imediatamente antes de morrerem. A dupla de polícias é protagonizada Song Yun-ah, que tenta dar uma dimensão credível a uma agente de autoridade, mas na minha opinião não o consegue. Não vejo na actriz, carisma para uma agente de autoridade. Por outro lado, o seu companheiro da polícia protagonizado por Lee Dong-wook, tem um bom trabalho e apesar de tudo, como dupla, as coisas funcionam razoavelmente tendo em conta alguma química no écrân.

No fundo, pouco mais há a dizer de Arang. O realizador An Sang-hoon criou um filme de terror banal, com alguns planos visuais que ficam na retina, mas que no geral, deixa muito a desejar. É demasiado óbvio e repetitivo e até mesmo muitíssimo parecido em termos de argumento e drecção com outro filme coreano de algum suceso e do mesmo género, Bunshinsaba. Esperava mais e não compreendo estas cópias e repetições de fórmulas gastas que não trazem proveito a ninguém. Pode ser que haja um remake americano de Arang...

Classificação: 3/10

Sérgio Lopes

2 Comments:

Anonymous Monsenhor said...

Realmente é uma produção pobrérrima em termos criativos... não vale a pena...


Amigo Sérgio... o material tá pronto... se puder entrar no msn hoje, eu te envio... abraço...

3:30 da tarde  
Blogger cine-asia said...

ok. Já vi e gostei muito. 3ª feira está on-line à maneira portuguesa. Se puder me envie as fotos das próximas resenhas em anexo ok?

mais uma vez obrigado.

1 abraço

12:44 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home