terça-feira, janeiro 09, 2007

Bloody Tie (Sasaeng Gyeoldan)

Coreia do Sul, 2006, 117Min.

Página Oficial - Trailer - Fotos

Sinopse: Sang-do, um intermediário no submundo das drogas e o detective da divisão dos narcóticos Doh, embora em lados opostos da lei, têm um objectivo em comum: Capturar o barão da droga na Coreia, Jang-chul. E para o conseguirem, os dois homens iniciarão uma batalha mortífera...

Crítica: Depois da aclamação e sucesso de A Bittersweet Life, parece que a moda dos thrillers com maior ou menor refercência ao policial Noir se implantou de vez. Um dos vários exemplos, é Bloody Tie, cuja acção se desenrola nas docas de Busan (a segunda maior cidade da Coreia e um dos maiores centros de droga do país) e narra a aliança algo singular entre 2 homens: um detective da divisão dos narcóticos, Doh Jingwang, que oferece protecção a um pequeno intermediário do submundo do tráfico de drogas, que é o seu informador.

Embora pareça o típico buddy movie, no qual polícia e criminoso juntam esforços e criam empatia mútua, aqui não é o caso. Eles necessitam um do outro, é certo, pois têm o objectivo comum de derrubar o barão da droga da cidade. No entanto, o seu relacionamento é sempre dificil e pleno de conflitos, servido pelo uso constante da violência, pois só sobrevive o mais forte. Em Bloody Tie, tanto polícia como criminoso, utilizam a exploração mútua para atingir os seus objectivos.

Trata-se de um filme coreano, que embora se paute por um thriller convencional, apresenta algumas boas doses de violência e alguma nudez, pouco usual em películas deste género no país. Com um argumento um pouco minimalista, a sua grande força reside no duo de protagonistas, personagens fortes, multidimensionais e complexas, cujas motivações vão conduzindo a narrativa. Ambos os actores estão em grande forma, tanto Ryoo Seung-beom (Crying Fist) como Hwang Jeong-min (A Bittersweet Life), sem dúvida dois dos melhors actores actualmente na Coreia do Sul.

O realizador Choi Ho, é hábil na realização e consegue transmitir a autenticidade dramática necessária, não só através do desenvolvimento de personagens, mas também recorrendo a alguns truques, quer utilizando montagem em flashback, quer por vezes, dividindo o écrân a meio, com cenas distintas em simultâneo, um pouco à Brian De Palma. No fundo, Bloody tie capta toda aquela essência dos filmes de crime de Hong-Kong dos anos 80, acrescentando-lhe estética visual cuidada característca do cinema coreano. Uma proposta que cumpre o seu propósito de entreter.

Sérgo Lopes

3 Comments:

Blogger Marcus Vinícius said...

No estilo de A Bittesweet Life? Hmmm... deve ser legal então.

Sexta estou de volta a ativa. Férias curtas, mas bem aproveitadas, hehe. Abraço e até mais.

2:37 da tarde  
Blogger cine-asia said...

é um filme que cumpre os seus requisitos, nada mais. A Bitterswwet Life é de outra galáxia comparado com Bloody Tie.
Abraço.

9:24 da manhã  
Blogger Danilo said...

Só podia postar pelo menos as legendas dos filmes .;. pq eh bastante dificil =/

3:57 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home