quarta-feira, maio 16, 2007

I'm a cyborg, but that's ok (Saibogujiman kwenchana)

Coreia do Sul, 2006, 105Min.

Página Oficial - Trailer - Fotos

Sinopse: Num hospital psiquiátrico, uma rapariga que julga ser uma cyborg de combate apaixona-se por um rapaz que pensa ter o dom de roubar as almas das pessoas...
Crítica: Park Chan-Wook, criador da fabulosa trilogia de vingança composta por Sympathy for Mr. Vengeance, Oldboy e Sympathy for Lady Vengeance, muda radicalmente de registo com a comédia de laivos românticos I'm a Cyborg, But That's Ok. O filme volta a ter como protagonistas pessoas com dificuldade de comunicação e com perdas familiares, ou seja, a temática favorita do cineasta continua presente. No entanto, a forma como aborda essa temática é mais ligeira e acessivel ao grande público.
O filme acompanha a vida de dois doentes internados num hospital psiquiátrico, Young-goon (Su-jeong Lim), uma rapariga traumatizada pela vivência com uma avó esquizofrénica e que acredita ser uma cyborg de combate com a missão de aniquilar os enfermeiros que levaram a sua avó para longe. É vê-la a conversar com máquinas de vending e a não se alimentar, pois receia que o seu organismos cibernético rejeite os alimentos e fique "avariada". O outro personagem central é Park Il-sun, interpretado pelo conhecido ídolo POP coreano Rain, que personifica alguém que diz ser capaz de "roubar" as almas dos outros doentes. Os dois irão se apaixonar e ajudar mutuamente a superar os seus devaneios mentais.

I'm a Cyborg But That's Ok mostra o mundo próprio de cada um dos doentes confinados naquele espaço, isolados do mundo. Park Chan-Wook consegue que cada um deles doentes crie empatia com o público e é vermos uma galeria de personagens sui generis a desfilar pelo écrân. A nível estético, o jogo de cores utilizado, bem como o cuidado na adequação dos cenários é sublime. Destaque também para a interpretação poderosa do duo de protagonistas com destaque para uma performance extremamente carismática da bela Su-jeong Lim, aterrorizante quando coloca os dentes postiços de sua avó.

O problema está no argumento pouco elaborado e na indefinição narrativa do caminho a seguir. Não é difícil fazer um filme cómico com personagens num sanatório., mas talvez o cineasta tenha pretendido provar que consegue fazer um filme para toda a família, mesmo apoiado na temática da marginalização da sociedade e do isolamento. O facto de o cantor Rain ser o protagonista obviamente é um factor chamativo para o público local. I'm a Cyborg but that's ok, pauta-se por uma comédia romântica invulgar, com traços surreais (à Michel Gondry), tecnicamente irrepreensivel, ams que fica uns furos abaixo do exigivel. Não é um filme mau, mas sabe a pouco...

Sérgio Lopes

8 Comments:

Anonymous Sofia Miranda said...

Olá Sérgio,

Queria só dizer-te que visito o teu blog com alguma regularidade e que sempre que quero descobrir novas perolas do cinema asiático é aqui que venho parar :)... Neste momento estou a acabar de ver a filmografia completa do Kim Ki duk.. vi recentemente o Samaria, que adorei... Bem, não te tomo mais tempo.. continua a partilhar os teus gostos porque são de optima qualidade ;) Beijinhos grandes...

2:42 da tarde  
Blogger cine-asia said...

Cara Sofia, obrigado pelos elogios que devem ser estendidos à equipa que colabora no cineasia, nomeadamente, os caros colegas Ric Bakemon, Misato e Marcus Vinicius que enriquecem o blogue com a sua participação.

Beijinhos e vai aparecendo!

3:36 da tarde  
Anonymous Sofia Miranda said...

My mistake :D elogios estendidos a eles também hihi. Vi ontem o Xangai Dreams, do Wang Xiaoshuai já viste?

Beijinhos grandes

12:13 da manhã  
Anonymous Sofia Miranda said...

Ups... vi agora que sim.. ;) excelente critica ***

12:17 da manhã  
Blogger cine-asia said...

Sofia, estás disponivel para colaborar no cineasia? se sim, gostaria de falar melhor ctg via e-mail ou msn. Obrigado.

4:18 da manhã  
Anonymous Sofia Miranda said...

Olá Sérgio,

Sim e sendo assim também tenho uma proposta para te fazer ;) aqui fica o meu email do msn: sofiamiranda000@hotmail.com.
Beijinhos grandes

Sofia

12:58 da manhã  
Blogger Mônica M.P. said...

Sérgio,
Quero parabelizar você e toda sua equipe por este blog.Tenho acompanhado o cinema asiático mais recente.Tem sido adorável conhecer os trabalhos de alguns diretores asiáticos que abordam temas universais sem deixar de lado a criatividade.Uma história bem contada e com conteúdo, bons atores, exelentes trilhas sonora e fotografia. Merecem sim o nosso respeito e muitos blogs, de preferencia tão bom como o de voces!
Um abraço e até mais,
Mônica Munhoz.

4:06 da tarde  
Blogger Fabricio said...

Decepcionante :/

espero por blueberry nights.

dá medo tentar prever um futuro para o cinema asiatico.

10:51 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home