terça-feira, julho 18, 2006

Masters Of Horror: Imprint


EUA, 2005, 63Min.


Página Oficial - Trailer - Fotos

Sinopse: Um jornalista americano no Japão do século 18 está esperançado em encontrar a amada que deixou para trás. A sua longa busca leva-o a um bordel onde acaba por passar a noite com uma mulher. Será o começo de uma moite aterrorizante e reveladora…

Crítica: Imprint, é um dos segmentos da série Masters Of Horror, série americana que em cada episódio contava com um cineasta mais ou menos conceituado atrás das câmaras com total liberdade para realizar um conto de terror, de modo a fazer jus ao título da série. John Landis, Dario Argento, ou John Carpenter foram alguns dos eleitos.

Para ser mais rigoroso, Imprint, é o último episódo da primeira temporada e foi banido da televisão americana sensivelmente uma semana antes da sua difusão, uma vez que os líderes da cadeia Showtimes acharam que o seu conteúdo extremamente violento, não seria apropriado para a audiência americana. Realizado por Takashi Miike (Audition, Gozu), o mestre do gore e da violência gráfica explícita, já era de esperar algo apenas suportável para quem não tiver estômago fraco.

Baseado no livro de Shimako Iwai, vencedor de dois prémios literários, poucos achavam ser possível adaptar um livro ao cinema (ainda por cima ao cinema americano) que trata de uma temática horrenda baseada nos velhos costumes japoneses. O certo é que Miike não hesitou em o adaptar para a série americana, criando um dos episódios mais macabros da primeira temporada.

A escolha para protagonista recaiu em Billy Drago. O seu overacting é tão evidente que se torna um dos pontos mais negativos do segmento. Não é nada realista nem conseguida a interpretação do actor americano. Quanto ao resto do elenco, maioritariamente asiático, safa-se bem, apesar da dificuldade evidente do uso da língua inglesa.

Quanto ao episódio propriamente dito, apresenta os traços clássicos de Takashi Miike: ultra-violência, incesto, morte e uma cena de tortura tão ou mais brutal que a tão famosa cena final de Audition. Quanto ao resto, Miike tenta ser conciso mas perde um pouco a linearidade narrativa, talvez devido à curta duração da película e às diversas camadas surreais que talvez precisassem de um pouco mais de tempo para serem dissecadas.

Compreende-se perfeitamente que tenha sido banido dos Estados Unidos, uma vez que é realmente violento e chocante. È sobretudo um produto para os fâns acérrimos de Miike que não devem perder Imprint. Para eles o Cineasia informa que o episódio irá sair em DVD , a 26 de Setembro, carregado de extras.

Classificação:6/10

Sérgio Lopes

2 Comments:

Anonymous Ronald said...

O Melhor episódio da Série e uma das coisas mais legais do Miike!

Sempre entro por aqui, mas quase nunca comento, enfim...

Abraços!

5:27 da manhã  
Blogger Passageiro said...

Episódio excelente, mas não posso seguir o coro dos contentes, e dizer que é o melhor episódio de "Masters of horror"; fiquei mais impressionado com o mistério de Jenifer, e "Cigarette Burns" (John Carpenter dispensa comentários). De qualquer forma, a primeira temporada é impressionante, sem dúvida, e todos os episódios são muito bons comparados com a enxurrada de filmes de horror ruins em cartaz nos cinemas; para uma produção televisiva, "Masters of horror" está acima da média.

4:45 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home