terça-feira, novembro 28, 2006

Fudoh: the New Generation

Japão, 1996, 100Min.

Página Ofical - Trailer - Fotos

Sinopse: Para pôr fim a uma disputa entre gangs Yakuza rivais, devido a um negócio que correra mal, o líder de uma das organizações, assassina um dos seus dois filhos adolescentes. O filho sobrevivente jura vingar a morte do seu irmão mais velho e decide organizar o seu próprio gang de jovens assassinos, com o objectivo de destruir a organização do pai.

Crítica: Fudoh é considerado o filme que abriu as portas da internacionalização a Takashi Miike, o realizador japonês hiperactivo (consegue lançar 5 a 6 filmes por ano!) conhecido pelas doses massivas de gore e de matéria bizarra nos seus filmes, doseados com um toque de humor negro. Mau gosto e puro gozo é o que Fudoh tem para oferecer, numa mescla que não deixa ninguém indiferente (quer se goste ou não do estilo do cineasta japonês).

O filme traça a odisseia do mais jovem descendente do clâ Fudoh e do seu trajecto de vingança, após em criança, ter assistido à decapitação do seu irmão mais velho, às mãos do seu próprio pai. O jovem Fudoh jura vingança e forma um gang composto por adolescentes, desde colegas colegiais até crianças, que vão aniquilando os seus oponentes das mais variadas formas. Uma das adolescentes do gang de Fudoh trabalha numa espécie de clube nocturno atirando dardos utilizando a sua... vagina! Sim, é verdade...

Num filme de Miike, o bizarro é sempre o prato forte e Fudoh não foge à regra. Por exemplo, outra das cenas inesqueciveis do filme é a cena de sexo entre uma adolescente hermafrodita e uma bela e sexy professora. E por aí fora... é preciso não estragar o visionamento do filme com demasiados spoilers. Para além das cenas bizarras, está também presente o gore, ainda para mais sabendo que Fudoh se baseia num Manga de sucesso, por isso, desculpa-se de certa forma o exagero em determinados momentos.

Apesar de ser um filme rodado directamente para vídeo e com um claro baixo orçamento, Miike trabalha muito bem tanto as cenas de acção através de movimentos de câmara eficazes, bem como os efeitos especiais, que mesmo fracos, enquadram-se no caracter low budget do filme. Destaque também para a galeria de personagens, todas elas bastante bem desenvolvidas, cada uma delas com um papel bem definido e com performances seguras dos respectivos actores, principalmente do actor que personifica o jovem Fudoh, com bastante carisma.

Fudoh não é apenas mais um filme sobre a yakuza, mas sim entretenimento em estado puro. No entanto, só funciona se nos desligarmos das suas inevitáveis falhas e nos deixarmos levar pelos caminhos do bizarro e de um certo surrealismo aliado algum mau gosto (propositado), suportável com uma boa dose de sentido de humor. Não deixa, no entanto, de focar temas sensiveis como o choque de gerações ou uma certa alienação da juventude japonesa, temática tão amplamente falada poucos anos mais tarde em filmes como Battle Royale ou Blue Spring.

Classificação: 6/10

Sérgio Lopes

1 Comments:

Anonymous Monsenhor said...

Miike é o cara... Pra quem quiser saber alguns pequenos detalhes de sua bigrafia visite o http://monsenhorama.blogspot.com

8:34 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home